FW051

FW051

A Luz – The Light Transformador Equilíbrio de forças reluzentes que transformam a realidade. Quadro eléctrico comanda as posições e destinos da corrente universal. Luz solar Ilumina as entranhas Obscuras da natureza terrestre. Fonte luminosa cai como gotas no chão nessa fonte de vida e de luminosidade. Farol Busca incessantemente de modo giratório o movimento da anormalidade. Electrocussões Nervos ruidosos pestanejam com electrocussões cardíacas. Ondas electromagnéticas Vão e voltam os pensamentos ondulares à volta do círculo das ondas. Corrente eléctrica Percorre-me o corpo esta corrente que me leva ao circuito das ondas Impulso eléctrico Sou abanado por impulsos que circulam de modo eléctrico. A luz da verdade Brilha intensamente a verdade quando descoberta por impulso. Apagão Calam-se as vozes atormentadas pelo sentimento luminoso do ser. Vela luminosa Acende-se a dor Acumulada da cera derretida. Portas eléctricas Abrem suavemente tocando, mas fechando-se sem tempo para se abrir. Motos serra eléctrica Corta com as raízes de ódio vibrantes de energia obscura. Electrocutado Electrocutado em fumo luminoso que apaga a memória. Turbulências electromagnéticas Fervilham nas mentes turbulentos electromagnetismos infinitos. Raio electrizante Como um raio electrizante que paralisa a mente energética. Luzes diabólicas Cada ser possui uma luz diabólica electrizante de intermitências. Luz intermitente Luzes intermitentes assolam-me A passagem da corrente ininterrupta. Luz opaca Luzes opacas iluminam seres mirabolantes na luz escura. Fios eléctricos Fios eléctricos percorrem-me o corpo vibrante de energia. 10º circuito eléctrico Subo e avanço em direcção ao 10º circuito eléctrico e há uma falha de energia incorruptível. Queda eléctrica Caiu eléctrico sobre as palavras de extasia e de sensações. Corte luminoso Cortantes e luminosos ecos, Resplandecentes de luz agarram a voz que quebra. Obscuridade relampejante Relampeja obscuros os seres andantes com orientação ocular. Fluorescência Florescem e caem que nem trovões em todas as direcções e sentidos. “ofusculência” Relâmpagos lancinantes ofuscam o prazer alheio de sensações e de olhares. Incandescências Cruzam-se arcos profundos em tua alma que se seguram a eléctrodo – choques dinâmicos e incandescentes. Electrocutáveis Como um laivo que me martela as incongruências dos sentimentos que apelam a uma luz forte e determinada. Ausência crepuscular Enrolo-me suavemente nas luzes agudas do meu ser, suavemente me deleito com um raio. Reminiscências Acordo absorto num dia luminoso, preparo-me para sair das trevas e com o poder da luz, distribuirei força e energia para toda a comunidade constelar. Luz ameaçadora Ameaçam essas luzes convalescentes que nos atormentam e deixam antever o perigo. Luz de presença Essa luz que te acompanha em momentos bucólicos e incapaz de a confrontar te intimida em secretismo. Luz vermelha A luz vermelha intensa e bloqueadora de nervos aceleradores. Choque Choques zarpares e contaminadores de mentes sem impulsos alastram-se. Luz de companhia Iluminado o que não se dá e nem sente luz de companhia. Trovões Trovões rangem e estilhaçam ruídos sedentos de prazer. Luz poderosa Luzes poderosas condenam vidas alheias à instrução por vozes Raios Como raios poderosos e lacerantes que cortam laços impossíveis de atar. Luz fosca Ofuscaram a consciência em que penetram volumosos feixes de luz. Luz intensa Intensamente se iluminam as brumas da luz negra Cósmica luminosa Como um cosmos penetrante e profundo que alivia os esquecimentos da alma. Poder da luz O poder curativo da luz iluminou-me os filamentos da razão no prepúcio do desespero, estou-lhe grato. Essa luz encaminhou-me na direcção da corrente de extasia da vida quotidiana, iluminou-me o futuro doentio e despropositado para então sim trovões abatem-se em mim e relampeja como dinamite despojado de prazer funesto. Então sim curado pela luz e movimento dela curei-me e saí das entranhas calóricas de rigor e de exactidão. Mas não sei se essa luz me iluminará o passado pois temo que ela não tenha qualquer luz que corra energia. Daí que há dois pólos, dois extremos de energia. E eu fui atingido pela positiva e curativa e não pela negra e assombrosa. Essa luz provém da clareza de emoções e racionalidade do crepúsculo do imediato e impulsivo, sem transição e opaco de sentidos, não sentimentos embutidos nem pregados. A luz é forte, é intensa e queimará todos, com os seus raios em quem nela se opuser, junta-te à luz, aos sentidos. Deixará de haver energia e força impulsiva, agarra o talento que tens e força como um raio azul cortante e ventilaste de sufocos não vividos e de pensamentos maliciosos e penetrantes que nos vitimam como sombras sem luz que as alimente. Quero assim dizer que há luz em ti e há trovões, tempestades, energias e luz, essencialmente luz límpida, e pura na sua forma mais primitiva o fogo esse fogo que nos cruza e nos alimenta e por vezes nos queima, assim é a vida feita de luzes transitórias e oponentes contra a própria razão ou sentido de energia que nos dê força e vitalidade para aguentar os seus choques esbatidos e sem força que se recriminam e encontram em causas desculpas do seu envolvimento, não há luz sem energia e tudo tem energia, tudo tem a sua luz e movimento e corrente, isto é o próprio ser, que nos intimida e tantas vezes nos confronta com acusações estranhas que não entendemos pois não são dirimentes nem ousam chocar com outra energia mas sim tentar apagar a sua luz, mas ela está presente e como que se revela, infiltra-se nos sentidos da visão e mostra-nos a clareza do pensamento através do silêncio dos tempos, e como se cala endurecesse a opinião e desfruta das incapacidades inglórias que outros transmitem através de energias negativas ou positivas. Mas é um facto a luz do raio azul intimida, mas acolhe naquela energia quem nele se quiser transportar e isto à velocidade da luz, do imediato, do segundo, da fracção, do momento, e o momento é instantâneo daí que não haverá cortes no quadro nem na conduta mais ridícula pois todos têm direito à energia, sejam elas de efeito positivo ou negativo. Já o efeito dilacerante da faiska negra acontece no pólo neutro de sensatez e se transporta na loucura da energia vibrante e sedenta de prazer e de luminar, por isso aconselho usa a tua própria energia para ser atingindo pela luz e esbaterá um sorriso ardente como cinzas, despojadas de calor, mas frenética quando agitada. Doutro quadrante temos o raio azul com pensamento imperturbável de luzes de árvore de natal e stressadas que nos conduzem à distracção. O raio azul conhece o seu caminho, direcção, orientação e tem discernimento para enquadrar energias e fotões, possíveis curtos circuitos, mas vibrante e impulsivo viaja sempre à velocidade não da luz mas do raio azul. É nessa transição de energia que se confrontam as energia pragmáticas não efusivas mas obstrutivas que nos impedem de viver o instantâneo, o trovão agita-se e proeminentemente afecta a onda sonora que produzem velocidades supersónicas mas não tão poderosas. Como confrontação directa e oprimida pelas gentes luminosas engrossam as luzes opacas que desvirtuam o que é real e parece irreal, mas há luzes fictícias também isso é o poder da luz da imaginação. Raio azul Enfurecido o raio azul invade-me o ser resplandecente de energia que a brota nos poros sujos de preconceitos e intolerâncias a que este raio azul vai atingir. Luz laser Esta luz laser é penetrante e de modo invisível penetra até o não visível e imperceptível. É uma luz vidente e mestra nas suposições e encruzilhadas alheias ao próprio vidente. Imperceptível e inócua provoca através de seu feixe uma sucção de pensamentos e ideias preconcebidas com veneno ao próprio veneno e seu antídoto. Luz de sótão Esse fumo trespassa a luz da mente encoberta de trapos de memórias desfeitas em cabeças soltas de direcção e acção, acção essa motora que arrefece o escalão do pensamento frenético de lentidão e massificador amente descoordenada. Penetrante no ócio do momento entusiasma-se e distribui-se pelas luzes cerebrais e excitantes em estímulos de corrente eléctrica deambulante. Intensifica-se na massa corporal e distribui luz hipnótica e paralisante, como um desencadeio de rimas das palavras sem nexo. Essas luzes de sótão entram em qualquer cabeça com ecléctica raiz de engenharia de ponta. Há quem tenha macaquinhos, outros só sótãos, outras luzes do sótão que ofuscam a entrada principal, quem me dera penetrar nos sótãos com recordações, pensamentos, enfim vida vivida sem grandes causas mas com recordações. Recordações essas que ficam a iluminar o sótão para sempre e uns estão sempre aberto ou fechados em baús. Relâmpago Aquece e escurece e torna-se imóvel e silencioso, mas range e o ruído quando acontece é ofegante e avassalador que contagia a raiva de viver e estar presente entre outras luzes e iluminações ou até mesmo simples escuridão passageira mas marcante de suspiros e que rompe os silêncios mais electrizantes. Esse relâmpago que te apaga a consciência marcada pela emissão de gemidos eloquentes e que precipitam a acção negligenciador de sentido de oportunidade de estar imóvel no momento em que caí outro relâmpago nesse mundo. Cinzas de luz essas cinzas que te marcam de calor a ferros bravios e fortes só de uma golpeada estão contaminados pelas cinzas de luz do passado e do futuro omnipresente que não esqueces e que te rebeldia. Corta-te o impulso do momento e propaga-se lentamente dilacerante e efusivamente dizendo-te controla-te, e te arremessa para dentro de um poço de luz que se afoga na memória das palavras incontinentes e que derrama a sua sede de luz. Em polvorosa estão as cinzas ardentes de um corpo magnético que assobia e pestaneja no teu coração ardente de desejo de algo, viril e másculo ou então feminino e sensual, essa dupla personagem afronta-te como uma dupla personalidade que não cede nem para um lado nem para outro. Essas cinzas de luz aquecem o sombrio e o frívolo e têm em seu calor a protecção das chuvas devoradas e que se alastram pelos continentes e espaço intemporal. À luz do prazer Essa luz que nos invade e nos presenteia de luxuosos discernimentos e nos leva aos inúmeros prazeres deprimentes e da ansiedade da química do prazer sedentário, mas não encrostado, mas sim impresso nas faces ingénuas de prazer alheio que iluminam o ser ou do sentir ou da emoção. Emoção essa que sente prazer mirabolante e resplandecente e alivia as contracções sentidas pelo excesso de prazer, excesso esse que nos redirecciona para outros sentidos e prazeres. Quanto à luz do prazer desenvolve-se e alimenta-se de vício que não recua e não oscila e embate em cabelos loucos de prazer da negação. Luz hipnótica Apalpadelas sentidas na face hipnótica da luz presenciam sentimentos que deixam antever o desejo do vício dessa luz que nos leva a dinamizar e a acreditar que existe luz. Por ela somos levados sem crédito e sem débitos, estagnado como a vida hipnótica de seres transcendente que se viciam em fontes de prazer hipnóticos. Vícios esses que deliram pelos cabelos e sobrancelhas carregadas de pudor e ócio. Transcendente essa luz que nos leva a novos desafios iguais em pensamento diferentes em reacção, reacções essas desmedidas e puras que enfrentam o puro desejo de ter a luz, em seu poder para ser alimentado por ela e conduzido pelas pedras soltas que se juntam como barro em aquecimento. Luz intensa Intensamente essa luz divide-se entre corpos alienados de movimento e oscila entre dois caminhos fáceis de iluminar, mas sem qualquer corrente eléctrica, ela é auto-suficiente e subsiste na amargura e no desalento da hipnose sistémica que nos alimenta e desenvolve. Mas conscientemente é uma luz tão intensa que se apaga e auto transmite poderes mesmo apagada. Trovões psicadélicos Psicadélicos entrecruzam-se no ruído dos bravos trovões que suportam e potenciam a anormalidade que provém do facto de sermos abrangidos por esta trovoa- da psicadélica. Pois bem aqui se erradia luz coerente, sem potências ou escalas, isso seria apenas um pretexto para a anormalidade do trovão negro, que se enjaula e grunhe nos sentidos mais estranhos e profundos de absorvência da razão porque ele se apaga, range e desloca-se sem o mínimo de secretismos, aparentemente mundo de luzes psicadélicas afligem quem nele se quiser despistar, ou desfrutar de prazeres escalonados preconceituosos tingidos pelas cores oblíquas estagnadas, sem vontade de criação ou de mera indulgência. Imbuído no espírito dos fragmentos do pensamento, de facto fragmentados estão todos aqueles que imaginam outro mundo, distante de perturbações, que nos irritam como quando coçamos o olho, ou simplesmente pestanejamos. Esse movimento alienado de outro movimento, incandesce e pulveriza as mentes distantes e alheado ao simples facto do que é ser movimentado ou agitado. O trovão é psicadélico e afugenta espíritos, sem que eles se manifestem, como não existem, é uma realidade paralela de rumores e intransigências como o bicho papão, e aqui ninguém se alimenta de personalidades bizarras e cognomes da preexistência ainda que não exista de facto. Daí que tudo o que é irreal tem história intemporal, mas tem, qualquer coisa, tem medo, medo esse nos deporta num horizonte de 5 dimensões, polígonas e lineares, mas não susceptíveis ou sequer passíveis de qualquer traço, traço esse que representa os hemisférios do pensamento transcendente e apoteótico. Não floresce nem cresce nos filamentos da razão abstracta ideias, nascem sim impulsos de personagens já vistas, e decoradas, movimentos de imitação e adequação ao instante, mas tudo consciencializado e minimamente calculado. Sem cálculos o trovão é real e imprevisível daí que seja de uma genuína espontaneidade que é absurdo pensar em qualquer outra fonte de energia psicadélica. Rangem e moem as cabeças de outrora e já desvanecestes em folhas amarelas e comidas pelos bibliófagos, e sem qualquer perseverança intimidam os obsoletos da memória e do feito e contrafeito á sua medida. Rodeados de aparelhos de medida, congratulam-se os rotulantes abexins e riem-se os trovões da abissínia. À luz do passado exortam-se aqueles que vivem à luz do passado, esses moribundos do além invadem corpos celestes no proeminente facto de acontecer, do imediato. Mas tudo são questões luminosas, de luzes mais intensas ou menos, mas são radiações energéticas que não são compatíveis com o passado, nem mesmo do mo- mento anterior. Luzes passadas emitem portanto radiações nefastas que porém não ofuscam qualquer luz luminosa e radiante que se queira acender a qualquer instante, impulso ou momento. Pois o passado cruza-se com o presente, o instante, o impulso, segundo ou fracção, mas não influencia a sua corrente energética nem a sua luminosidade. Estamos portanto sempre a tempo da luz poderosa e límpida de corrente de extasia que corta no vento na cara prazeres até aí despojados de intenções de movimentos giratórios em torno do prazer de fazer luz ou ser iluminado, pois o que conta é certo é a potência ou voltagem da intensa corrente que desencadeia o impulso eléctrico que através do simples olhar transmite à luz do seu passado, luz menos intensa, radiações de vidas passadas, mas que não norteiam o princípio da luz desencadeado do movimento do impulso da luz sem máscara, vivido do segundo, do instantâneo, basta um simples click e pronto fez-se luz no olhar cortante e perigoso e queima olhares de inveja e ódio que simplesmente rastejam em torno de luzes do passado e se agarram a corpos celeste com radiações. Pois bem radiações são radiações e isso é contaminação, daí que nada mais forte do que acender a sua luz no momento, em todos os momentos com toda a corrente sem radiações, pois nenhuma luz é mais forte que outra, é mesmo uma questão de radiações, e não me venham com essas de luzes inatas pois cada um tem a sua luz pura, sedenta de vontade e imaginação e pura energia de desenvolvimento e criação. Magia luminosa que tem cores na sua luz, reflectida em tons de amarelo de sol, energético. De facto não há muita luz, existe apenas focos de existência remanescente e equilibrada de objectivar o que não é passível de visionamento. Portanto não existe, não é real, é fruto do raio potente que nos alude a consciencializar. Mas raios o que é a consciência? O que é realmente consciente ou inconsciente eis uma barreira que não é passível de se materializar por muito sentido que faça e que se entenda que todos nos dirigimos para o instante. Essa decadência de materializar barreira preconcebidas e dizem-se correntes intransponíveis quando no facto não há barreiras no real. Tudo portanto é imaginário e real ou irreal todos vivemos nessa mesma corrente de ilusões, de sede de outros espíritos que não nos afecta na verdade pois existe, ou de fato não existe qualquer barreira entre o desejo e a luz do inconsciente sempre presente no consciente e que reservas-mos só para nós pois pensamos nas correntes, mas aqui também não existem correntes ou impulsos, existem sim imaginários de criaturas celestes aeroespaciais que vivem conforme se diz à luz do passado, por maioria essa que deliberou que a luz tinha de ter potência ou medida, mas mais uma vez quem são eles para interferir na luz, na luz não se toca observa-se a luz e fica-se a olhar até ela apagar. Luz natural Nada mais natural que essa luz límpida e natural, pois é natural que se conforme. Conformidades, adversidades, conflitos, meras indulgências que servem de acumulador de atitudes e problemáticas conscientes mas não tão profundas pois são naturais. Entre natural e luz não há o mínimo choque daí que o natural envolve-nos e faz-nos sentir á vontade e tranquilos, pois tudo é normal e natural. Ar, alegria natural que nos envolve, esse que bate e foge e sobretudo toca, toque gentil para quem aprecia baforadas de leveza. Luz de energia nuclear Fonte potente de energia irradia-nos transformações, mutações psicológicas, que nos consideremos então atingidos por essa potência nuclear. Essa luz vibrante de energia cresce ao impacto luminoso do ser transcendente de mutações e que na realidade não as sofre mas como que um pavão infiltra-se nos impulsos apreendi- dos e que nos levam ao acto. Impulso esse dinâmico e límpido de radiações explosivas. Daí que teremos o expoente máximo na sua força de energia, serão agentes nucleares que corrigem e desmoronam a luz impossível de desequilibrar pois ela é o expoente máximo da força da transformação. E nada mais forte que transformar, essa mudança que nos eleva e nos potenciam em relação a radiações. Luzes psicotrópicas Como que por magia ou harmonia elas pousam e flutuam e batem asas essas luzes psicotrópicas que nos fascinam e trocam a realidade que se quer como um bom desejo mas auspicia-se por um mau agoiro quando regressamos desse mundo, onde como máquina do tempo nos afasta da dimensão real e nos transporta para um mundo de fantasia, irreal ou prazeres. Daí que exista uma terceira dimensão de actividade sensorial e energia obscura quando visionada na perspectiva de outros loucos por realidade nefasta à oxigenação e fluem as luzes psicotrópicas que ganham terreno em várias perspectivas e dimensões voluptuosas e que se esmeram aqueles que se retêm em episódios esporádicos. Nada de oposições entre mundo ou luzes ou realidades pois a própria natureza são as luzes. Trovão Como que uma brecha amarga e luzidia, enfurece o trovão que alimenta a terra dos sobreviventes da luz amórfica e transparente. Refugiados em corpos celestes da amargura eles despejam raiva incontrolável potenciada por essa lava de luz e de poder. Queima e alimenta a luz do ser que se deixa invadir por esses nefastos apagões na escuridão ausente de luz e de poder subserviente e que se deixa acalorar pelo magma do trovão energético e potencia a felicidade da luz. Felicidade da luz em feixes luminosos de seres incaracterísticos do ser. Transformer Balance of forces that transform the glittering reality. Switchbox Controls positions and destinations of current universal. Sunlight Illuminates the insides 11 obscure the nature of land. Fountain Fall like drops on the ground that the source of life and light. Lighthouse Search incessantly so rotary motion abnormality. Electrocution Nerves plow with noisy cardiac electrocution. Electromagnetic waves Thoughts come and go around the circle, wavy waves. Electricity Runs through my body this current leads me to the circuit wave. Electrical pulse I am shaken by impulses which move from electric mode. The light of truth Glows when the truth discovered by impulse. Blackout Shut up the voices tormented by the feeling of being bright. Candle Light Lights pain accumulated from the melted wax. Electric doors Open gently touching, but no closing time to open. Motorcycles chainsaw Cut the roots of hatred vibrant dark energy. Electrocuted Electrocuted in smoke light that erases the memory. Electromagnetic turbulence Swarm in the minds turbulent electromagnetism endless. Ray electrifying As lightning electrifying energy that paralyzes the mind. Lights diabolical Every being has a devilish light of electrifying flashes. Flashers Flashing lights plaguing me the uninterrupted flow of current. Dim light Lights illuminate opaque outlandish beings in the dim light. Wires Electrical wires run through my body vibrating with energy. 10th Circuit Electrical Rise and move towards the 10th circuit and there is a power failure incorruptible. Fall Electric Electric fell on the words of ecstasy and sensations. Cut light Sharp and bright echoes, shining light grabbing voice breaking. Dark lightning Flash brightly dark beings with errant eye orientation. Fluorescence Flourish and fall, not thunder in all directions and senses. “Ofusculência” Lancinating lightnings overshadow the pleasure of others feelings and perspectives. Incandescence Intersecting arcs deep into your soul that hold the electrode – shocks and dynamic glow. Electrocutáveis As a hint to me hammer out the discrepancies of the sentiments that appeal to a light strong and determined. Absence Crepuscular I curl up in lights gently acute of my being, I delight in a gentle radius. Reminiscence Agreement immersed in a bright day, I prepare to leave the Dark and the Power Light, Power and Energy will distribute throughout the Community constellations. Light Menacing Threaten these lights convalescent that plague us and let foresee the danger. Light Presence This light that accompanies you in moments of bucolic and unable to confront you intimacy in secrecy. Red Light The bright red light and blocking nerve accelerators. Shock Shocks sails and minds of contaminants without impulses spread out. Light Company Illuminated what does not happen and neither company feels light. Thunders Thunder crunch and shatter noise thirsty for pleasure. Mighty Light Powerful lights condemn instruction to the lives of others by voices Rays How powerful and lacerating Rays cut ties that bind impossible. Luz Fosca Clouded consciousness that penetrate into bulky beam. Intense Light Intensely lit up the mists of the Dark Light Cosmic Light Cosmos as a pervasive and deep which relieves the oblivion of the soul. Power of Light The healing power of light struck me right in the filaments of the foreskin of despair, I am grateful. This light guided me in the direction of current ecstasy of everyday life, struck me sick and the future unreasonable to so yeah … thunders into slaughter I like dynamite and flash brightly stripped of pleasure fatal. So yes cured by light and move it cured me and got out of the bowels of caloric accuracy and precision. But I wonder if this light will illuminate the past because I’m afraid she has no power to run light. Hence there are two poles, two extremes of energy. And I was struck by the positive and healing rather than the dark and haunting. This light comes from the clarity of emotions and rationality of the twilight of the immediate and impulsive, without transition and opaque meanings, not feelings or embedded nailed. The light is strong, intense and will burn all its rays on who opposes it, join the light, to feel there will be no impulsive force and power grabs that have the talent and strength as a Blue Ray fan and cutting non-lived bad moments and thoughts malicious and pervasive that victimize us as sound-light bras without the feed. I just say that there is light in you and there is thunder, storms, power and light, mainly light clear and pure in its most primitive fire that fire that crosses in and feeds us and sometimes we burn, so life is made of light transient and opponents against their sense of reason or energy to give us strength and vitality to withstand the shock faded, and without their strength reproach and that apologies are in causes of their involvement, there is no light energy and ener-gy has everything, everything has its light and movement and current, ie the self that often intimidates us and we con- fronta with strange accusations do not understand because they are not Exculpatory not dare to clash with other energy but rather trying to extinguish its light, but it is present and how it unfolds, infiltrates the senses of vision and shows us the clarity of thought through the silence of the times, and how to harden shuts and enjoy the view of the disabilities that inglorious others pass through negative energy or positive energy-po. But the fact is a light blue ray bully, but who accepts that power in it if you want to carry it and the speed of light, the immediate, the second tranche of the moment, the moment it is instantaneous and hence there will be no cuts in the framework or conduct more ridiculous because everyone is entitled to power, whether positive or negative effect. The influence of lacerating black Faiska happens in neutral pole of wisdom and carries the insanity of ener-gy vibrant and hungry for pleasure and luminary, so I advise using your own energy to be reaching for the light and blurring an ardent smile like ashes, deprived of heat, but frantic when shaken. Quadrant of another have thought the Blue Ray with imperturbable lights Christmas tree and stressed that drive us to distraction. The Blue Ray knows his path, direction, guidance and insight has to frame and photon energies, possible short of the tours, but vibrant and impulsive always travels at-speed of light but not blue ray. It is this transition power faced by the energy pragmatic but not effusive obstructive that prevent us from living the instant, the thunder shakes and prominently affect the sound wave that produce super-sonic speeds but not so powerful. As a direct confrontation by the people oppressed and thicken the lights bright opaque that distort what is real and it seems unreal, but there are also lights fictitious it is the power of the light of imagination. Blue Ray Infuriated, the Blue Ray invades me be resplendent with energy that flows into the pores of dirty prejudice and intolerance that this blue ray will hit. Artificial Light Laser Light This laser light is penetrating and so invisible to the pene tra-not visible and invisible. It’s a light in the master seer and-out hardened assumptions and zillions of others to own seer. Imperceptible and harmless causes through its beam a Suction thoughts and preconceived ideas to their own poison with poison and its antidote. Attic Light This smoke light pierces the mind’s hidden in rags memories undone in loose heads and steering action, action that the step motor that cools the thought of slow and frantic massificadoramente uncoordinated. Penetrating the idle time is enthusiastic and dis-tributes to the lights Brain and exciting current electrical stimuli in ca-wandering. Intensifies in body mass and distributes light practice and hypno-numbing, as one will set the rhyming gibberish. These lights come in any attic head with eclectic roots of the latest engineering. Some have monkeys, others only attics, attic other lamps that obscure the main entrance, I wish to enter attics with memories, pen-thoughts, short life lived without great causes but with memories. These are memories that light the attic forever and some are always open or closed in chests. Lightning Heats and darkens and becomes still and silent, but range and noise when it happens is panting and avas-salador that infects the rage to live and be present between lights and other lights or even simple dark transient but marked with sighs and silences that breaks the most electrifying. That lightning that you erase the issue of consciousness marked by groans and eloquent that precipitate action ne-loader sense of opportunity to be stationary at the time that another lightning fell in this world. Ashes of Light The ashes that mark you heat the irons from the wild and only a strong battered are contaminated by ashes of Light’s past and future ubiquitous that you do not forget and that rebellion. Cut up the spur of the moment and spreads slowly tearing profusely and telling you controls you, and you throw into a pool of light that drowns in memory of the words incontinent and spilling their place of birth. In turmoil are the burning ashes of a mag-magnetic body that flickers and hisses in your heart burning with desire for something manly and masculine or feminine and so sexy, this double character insult you like a split personality that does not sag or to a side or the other. The ashes of light and heat the dark frivolous in their heat and have the protection of the rains and devoured that spread across continents and timeless space. In light of Pleasure This light that invades us and gives us insights of luxurious and takes us to the many pleasures of greeting and anxiety chemistry of pleasure-sedentary nity, but not encrusted, but printed on the faces of naive pleasure that illuminate the alien being or feeling or emotion. Emotion that you feel happy and dazzling resplande center and relieves contractions felt by the excess of pleasure over the one that redirects to the other senses and pleasures. As the light of joy grows and feeds on addiction that will not shrink and does not wobble and crash crazy hair in the denial of pleasure. Light Hypnotic Grope mesmerizing felt in the face of the light pres-ence feelings that promise the desire of the addiction of the light which leads us to streamline and believe there is light. Through it we are taken without credit and no debts, es- stagnating, as the hypnotic life of transcendent beings who indulge in pleasure sources hypnotics. Vices such as rave hair and brow of shame and idleness. This transcendent light that leads us to new challenges in the same thought dif-ferent in reaction, reactions such unreasonable and pure facing the pure desire to have the light in his power to be fed by it and driven by loose stones that come together as clay on heating. Intense Light Intensely that light is divided between bodies disposed of motion and oscillates between two easy ways to illuminate, but without any electric current, it is self-sufficient and exists in sorrow and dismay of hypnosis systemic that feeds and develops. But consciously is a light so intense that apa-ga and auto-transmit powers even erased. Thursday, June 14, 2007 Psychedelics thunder Psychedelics intertwine in the noise of the brave tro-Voes that support and enhance the anomaly that arises from being covered by the thunder-the psychedelic. Well here it radiates coherent light, no power or ranges, that would just be a pretext for the abnormality of thunder black, which is caged and grunts in the strangest and most profound sense of absorbance the reason why he stepped aside, range and move without the least secretive, seemingly psychedelic lighting world who grieve it if you want to mislead, or enjoy the pleasures spread biased dyed colors oblique stagnant, unwilling to create or mere indulgence . Imbued with the spirit of the fragments of thought, in fact all those who are fragmented imagi-nam another world, away from disturbances, such as when we scratch ourselves irritate the eye, or simply you blink. This move alienated from other movement, glows and spray away the minds and oblivious to the simple fact of being a busy or agitated. Thunder is psychedelic and drive away spirits, without which they manifest, as there is, is a reality of parallel rumors and intransigence as the bogeyman, and nobody here eats weird personalities and aliases of pre-existence even in the absence of fact. Hence, all that is unreal is timeless story, but it does anything, afraid, afraid that we deport a horizon of five dimensions, polygons and linear, but not likely or even capable of any trait, this trait is that the hemispheres apotheotic and transcendent thought. Not flower or grow in filaments of reason tracta abstract ideas, but impulses are born characters already seen, and decorated movement imitation and appropriateness to the moment, but all made aware and minimally calculated. Without the thunder calculations is real and unpredictable so it is a genuine spontaneity-bility that it is absurd to think of any other energy source psychedelic. Creak and grind the heads of old and already disadvan-baskets in yellow leaves and eaten by bibliofagos And without any perseverance intimidate obsolete memory and made and counterfeited to its measure. Surrounded by measuring devices, welcome the rotulantes abexins and laugh at the thunder of Abyssinia. In light of the past are urged those living in the light of the past, those dying of celestial bodies in addition to invade proe-MinEnt that happens, the immediate. But all issues are bright, light intensity, more sas or less, but are not energy radiation are consistent with the past, not even mo-ment before. Past lights emit ra-mediations so that harmful but not block out any light that is bright and radiant light want at any time, impulse or momentum. For the past intersects with the present, moment, momentum, or the second tranche, but does not influence its energy nor its current luminosity. We are therefore always in time for the powerful light and limpid stream of ecstasy that cuts through the wind on your face pleasures hitherto deprived of intent Gyrate-motion rivers around the pleasure of light or be illuminated, because what counts is certain is power or voltage of the intense current that triggers the electrical impulse that passes through the simple look in light of its the past, less intense light, radiation from past lives, but not the principle of guiding light triggered motion pulse of light without shade, played the second snapshot, just a simple click and you’re done there was light in his eyes sharp and dangerous and burning glances of envy and hatred that just creep around lights of the past and cling the celestial bodies you with radiation. Well Radiation is radiation contamination and that is, so that anything stronger than light his light at the moment, at all times with any current without radiation, since no light is stronger than another, is a question of radiation – tions, and I do not come with these lights innate because each has its pure light, thirsty and will respond with imagination and pure ima-energy development and creation. Magic light that has colors in his light, reflected in shades of yellow sun energy. In fact there is not much light, there is only pockets of exis- tance of remaining balanced and objective way that is not capable of viewing. So there is not real, is the result of powerful ray that we alluded to raise awareness. Lightning But what is consciousness? What is really conscious or unconscious here is a barrier that is not likely to materialize for a lot of sense to do and to understand that we all would tell gimos for the moment. This decay preconceived barrier to materialize and saying they were current intranspo-levels when in fact there are no barriers in the real. Everything is so real and imaginary or unreal all live in the same chain of illusions, the headquarters of other studies Pirithous that does not affect us because it actually exists, or indeed there is no barrier between the desire and the light is always present in the unconscious conscious and We reserve to ourselves because we believe in chains, but here too there are no currents or impulses yes there are imaginary creatures celestial paciais aerospace-living as they say in light of the past, the majority ruled that the light had to have power or measure, but then again who are they to interfere in the light, the light does not rings. Observe the light and gets a clear look to it Nothing more natural light that is clean and natural because it is natural to conform. Conformance, adversity ties, conflicts, which serve as mere indulgences accumulator conscious attitudes and problems but not as deep as they are natural. Between natural light and there is minimal impact from this that involve the natural- see us and makes us feel at ease and quiet, because everything is normal and natural. Air, natural joy that surrounds us, the one that hits and runs and especially touch, gentle touch for those who like puffs of lightness. Light on Nuclear Energy Potent source of energy radiates in transformations, mutations psychological, which we consider ourselves so struck by this nuclear power. This light vibrant energy increases the impact of light be transcen-dent of mutations and that in fact they are suffering but as a peacock that seeps in the seized and impulses that lead us to act. Boost this dynamic and clear explosive radiation. Hence we have the ex-west in its maximum force of energy, nuclear agents that will fix the light and crumble impossible to destabilizing because it is the epitome of the power of transformation. And nothing stronger than transforming, the change that lifts us and potentiate in rela-tion to radiation. Psychotropic Lights As if by magic or harmony they perch and flap their wings and float these lights psychotropic that fascinate us and the reality that trade as either a good desire but is anticipated to be a bad omen for the quan-we return to this world, where as a time machine us away from the real dimension and transports us into a fantasy world, or unreal pleasures. Hence there is a third dimension of activ-sensory energy and dark when viewed from the perspective of other crazy reality inhibit the oxygenation and flow lights psychotropic gaining ground from various perspectives and dimensions Voluptuo-sas that excel and those who retain in sporadic epi-dios. No oppositions between light or world realities or because the nature are the lights. Thunder As before a break bitter and long lasting, raging thunder that feeds the Land of the survivors of light amorphous and transparent. Refugees in bodies ce-east of the bitterness they have put this uncontrollable rage enhanced by washes of light and power. Burns and feeds the light of being that makes the invasion of these ne-pomp blackouts in darkness away from light and power that lets itself be subservient and inflame the magma Thunder enhances the energy and happiness of light. Felici-tion of light beams uncharacteristic of human- cos of being

Leave a Reply

Your email address will not be published.*